10º Tom Jobim - As 10 melhores bandas e artistas da história

Publicado 13 Julho, 2014 por C. Aguiar   


Quando foi feita a seleção dos artistas que fariam parte desta tão seleta lista, percebemos que não poderíamos deixar de fora um artista que, embora não tão versado mundialmente como os outros membros aqui presentes, marcou de forma inigualável a (outrora) profunda e diferenciada música nacional, levando a cultura brasileira à um patamar nunca antes atingido perante o planeta: Antônio Carlos Jobim, o Tom Jobim.

O maestro brasileiro foi o grande artífice do principal ritmo musical genuinamente brasileiro: a Bossa Nova. Aqui, o brasileiro não mostra seu lado alegre e despreocupado, como podemos ver nas músicas de carnaval, ou conhecendo a natureza do universo caipira, como a música sertaneja raiz trouxe à luz. Agora, o lado erudito do compositor é exaltado, e Tom trouxe vida à esta veia cultural de maneira magistral, seja na construção de suas músicas, seja nas letras. O primeiro ritmo genuinamente brasileiro, e que cresceu com bases sólidas na mágica parceria entre Tom e o poeta Vinicius de Moraes, se destacou ao redor do mundo principalmente pelas melodias bem construídas, em um trabalho harmônico muito próximo ao nível dos grandes mestres de cordas que se sagraram na história da música.

Tom, múltiplo instrumentista, não propagou a cultura brasileira somente com o sucesso de suas músicas em um mundo dominado pelas guitarras possantes de Jimmy Page e do magnetismo de Mick Jagger, mas também advogava em nome da música brasileira sendo feita por brasileiros. ‘Aqui a ordem é impor a lei do W. Música em inglês. Música ruim em inglês, que é para ninguém entender’, disse uma vez o maestro em entrevista, acreditando na necessidade de os brasileiros darem mais valor e vazão à nossa própria música, quando o mundo, a mídia, empurravam (e empurram) músicas estrangeiras muitas vezes de qualidade inferior à que pode ser e que foi produzida aqui.

O grande artista brasileiro foi imortalizado por uma música metropolitana sobre um tema aparentemente banal, embora descreva com primazia a beleza da mulher carioca: Garota De Ipanema. Mas um fato é seguro: Tom possuía canções melhores, mais bem compostas do que estas, e muito mais profundas. Tecnicamente, sua obra prima é Chega de Saudade, composição feita em parceria com Vinicius de Moraes e acompanhada no violão por João Gilberto. Talvez nunca na história tantos tesouros da música nacional estiveram reunidos em uma mesma canção, e a primazia de letras de Tom deram as bases para artistas como Caetano Veloso, Chico Buarque e GIlberto Gil continuarem a perpetuar a cultura musical própria do país, que hoje tanto carece de nomes que possam continuar a guia-la em frente.


Os 3 melhores álbuns:

1º Matita Perê (1973)

  1. Águas de Março ♦
  2. Ana Luiza
  3. Matita Perê
  4. Tempo do Mar
  5. The Mantiqueira Range
  6. Crônica da Casa Assassinada
  7. Rancho nas Nuvens
  8. Nuvens Douradas

2º Urubu (1976)

  1. Bôto (Porpoise)
  2. Ligia
  3. Correnteza
  4. Angela
  5. Saudade do Brasil
  6. Valse
  7. Arquitetura de Morar (Architecture to Live)
  8. O Homem (Man)

3º Terra Brasilis

  1. Dreamer
  2. Canta mais
  3. Olha Maria
  4. Samba de uma nota só
  5. Dindi
  6. Quiet nights
  7. Marina Del Rey
  8. Off key (Desafinado)
  9. Você vai ver
  10. Estrada do Sol

As 10 melhores canções:

1º Chega de Saudade



2º Águas de Março



3º Garota de Ipanema



4º Pela Luz dos Olhos Teus



5º Samba do Avião



6º Anos Dourados



7º A Felicidade



8º Desafinado



9º Corcovado



10º Amparo










Comentários



Nenhum comentário.


© 2017 Templo de Atena. Todos os Direitos Reservados